Adidas


10 julho, 2009

Problemas?

Pessoal, ja me escreveram se queixando que o endereço www.parmerista.com.br, onde está funcionando o blog na plataforma do WordPress, continua chamando este blog, o antigo, do blogspot.

Isso se resolve limpando a memória cache do seu computador. Dependendo do seu browser, existe um jeito diferente. Este endereço talvez seja capaz de resolver seu problema.

Depois de limpar a memória cache, é só entrarr em www.parmerista.com.br, et voilà...

07 julho, 2009

Tchau blogspot

Rapaziada, não foi muito fácil por causa da customização, mas pelo menos no visual ficou quase igual. A partir de agora, o endereço oficial do blog Parmerista! será sempre o www.parmerista.com.br, powered pelo Wordpress.

O endereço http://parmerista.blogspot.com ficará ativo enquanto eu não conseguir importar todo o conteúdo ja publicado (quase 1.200 posts), para consulta.

Alterem seus links, seus favoritos, ou sei lá mais o que será necessário. Mas não me percam de vista.

Vocês já deverão notar nos comentários do novo espaço que será necessário fazer um pequeno cadastro para poder participar ativamente do blog. Isso será muito interessante, inclusive, para a administração dos parpites, que deverão voltar. Esse deve ser nosso próximo passo, ainda não sei bem como. Mas eu vou aprendendo.

Enfim, valeu por tudo, blogspot, e bem-vindo Wordpress.

06 julho, 2009

A oposição e a mídia

Manter um embate com uma oposição leal é saudável a qualquer situação. Este blog jamais apoiaará qualquer atitude de qualquer gestão do Palmeiras que busque artifícios como mudanças estatutárias, listas negras, ou mesmo uso de força por parte dos seguranças do clube para abafar manifestações políticas como o mero uso de camisetas. Sim, isso aconteceu em nosso Palestra há poucos anos.

As oposições podem e devem se manifestar constantemente, da forma como conseguirem. É através da cobrança da oposição que a situação consegue identificar mais rapidamente seus erros e tomar as devidas rotas de correção. Isso, claro, num mundo ideal, onde a oposição critica porque quer o bem do clube, não porque quer o poder a qualquer preço, mesmo que isso signifique piorar o ambiente interno, mesmo que isso signifique ter que torcer contra o time para enfraquecer a situação.

Pergunto ao leitor: vocês sabem o nome dos líderes opositores do Santos? Do bambi? Do gambá, só por ser folclórico, alguns vão se lembrar do Citadini, apenas alguns. Mas pergunte a qualquer torcedor desses times se eles sabem quem é o ícone da oposição palmeirense. A resposta vem de bate-pronto.

Não se vê em nenhum meio de comunicação tanto debate sobre os balancetes (curiosamente, sempre com uma visão tendenciosa, com análises pobres e risíveis) como os do Palmeiras. Não se fala dos bastidores dos clubes com tanta frequência como sobre os nossos. Como somos expostos!

Mas por que a imprensa dá tanto espaço à oposição palmeirense? E por que reverbera de forma tão tendenciosa seus argumentos? Por que publica com tanta frequência boatos lançados por "conselheiros", a maioria absoluta de teor polêmico? Trocando em miúdos, de onde vem o gosto por fazer o circo pegar fogo, e por que ele não era assim antes, e por que isso ocorre com tanta assiduidade na cobertura do Palmeiras?

Caros "colegas" jornalistas, setoristas do Palmeiras: questionem seus pares, que vocês sabem muito bem quem são, que dão esse tipo de enfoque, e que dão essa quantidade toda de espaço a essas fontes nem um pouco desinteressadas. Façam entender que esse tipo de atitude depõe não apenas contra o veículo para o qual trabalham, mas contra toda a classe. É por essas e outras que foi cunhado o termo "imprensinha". É generalizar, concordo que é errado. Mas nós somos os amadores. Vocês é que são os profissionais e são pagos para isso.

Me parece que uma das maiores diferenças entre um jornalista com graduação e um amador é o estudo profundo da postura ética para se fazer jornalismo. Pois às vezes a impressão que dá é que alguns colegas fazem questão de aplicar o contrário daquilo que se deve ensinar no banco da faculdade, sobre o que não deve ser feito. E acabam deixando de lado tudo o que aprenderam com os pais, sobre certo e errado. Que é o que nós, jornalistas sem diploma, continuamos fazendo desde criancinhas.

05 julho, 2009

Avaí 0x3 Palmeiras

Muito mais pela fragilidade do Avaí do que propriamente por ter feito uma grande partida, o Verdão volta de Floripa com um belo placar de 3x0 na bagagem, empurra o adversário para a lanterna, volta ao G4, a apenas 4 pontos do líder. Nesta fórmula de pontos corridos com 20 times, costuma-se esperar pela décima rodada para fazer as primeiras previsões para o campeonato. Depois de nove jogos, o Palmeiras se credencia como membro natural do grupo de cima, não se trata de uma casualidade ou de uma boa fase. Aliás, longe disso.

A partida de hoje, provavelmente a última de Jorginho Cantinflas à frente do elenco, foi uma demonstração de força e união do elenco. Sem brilhar, os jogadores fizeram do jogo coletivo e da raça suas maiores armas, e o supercraque garantiu as defesas lá atrás debaixo das traves. Isso explica o placar.

Logo de saída, uma bela enfiada de bola de CleitonX encontrou Obina, pela esquerda. Ele'e dominou e tocou certinho, na saída do goleiro. Errou, mas não foi por ruindade nem grossura. É gol que centroavante perde, faz parte. Foi apenas um indício do que ainda estava por vir. A partida, entretanto, permaneceu bastante travada no meio de campo, as chances de gol eram raras e admito: fiquei com um baita sono.

Para despertar a platéia, aos 25, Obina recebeu mais uma, sempre pela esquerda. Ficou no mano a mano com o zagueiro, fintou e foi derrubado. Depois de quase três meses, 16 jogos depois, o Palmeiras finalmente teve um pênalti marcado a favor, depois de uns duzentos trinta e oito não marcados. O goleiro dizia para seus zagueiros correrem para o rebote. Que mané rebote, Obina'a deslocou o arqueiro com categoria pra fazer 1x0 no placar.

Depois do gol, o Avaí se lançou ao ataque, limitado pela baixa qualidade de seus meias e atacantes. Assim, as jogadas mais perigosas eram na bola parada: Marquinhos, que já foi manequim da MTV em sua passagem pelo bambi, chegou a bater um escanteio de três dedos que tinha o endereço, e Marcos salvou um gol olímpico dos caras. Em outra cobrança, o zagueiro catarina testou forte e a bola explodiu no travessão. Mas graças ao bom posicionamento defensivo nas jogadas aéreas, e com o auxílio muitas vezes de Diego Souza e até de Obina, seguramos a pressão. E assim terminou o primeiro tempo.

Não se pode esperar muito de um time com Fabinho Capixaba pela direita. Felizmente Armero estava numa noite bastante animada, e compensou a deficiência do lado direito se apresentando constantemente como opção de desafogo pela esquerda. E foi numa falta batida pelo setor que Ortigoza escorou para o segundo pau e Obina'a, em condição LEGAL, fez seu segundo gol da noite.

Com 2x0 no placar logo aos sete minutos, o Palmeiras parece ter nocauteado o adversário. O Avaí fez suas tentativas mais na base da bola parada, já que a defesa do Palmeiras realmente parece ter encontrado um entrosamento interessante, além de bem protegida por Souza, titularíssimo, e Pierre. Edmilson, quem diria, acabou no banco. A ressalva são alguns espaços pelo lado esquerdo. Nessas tentativas do Avaí, Marcos mostrou mais uma vez por que é nome obrigatório em qualquer lista para disputar a Copa do Mundo. Mas o time da casa também conseguiu armar uma ou outra chance com bola rolando, a maioria delas costurada pelo habilidoso Muriqui. Marcos estava lá, de qualquer forma.

Diego Souza ainda não achou seu melhor posicionamento depois da entrada de Obina no time. De qualquer forma, foi numa jogada sua, pela direita, que saiu o terceiro gol: um lindo passe para Capixaba, que tentou fazer a jogada de fundo e cruzou, errado. A bola foi rechaçada para a frente, mas no pé de CleitonX que vinha na corrida. O chute veio firme, de chapa, e foi pro fundo da rede de Martini. Pá de cal, e revolta da torcida da casa. Daí até o fim do jogo, só deu tempo de mais um milagre de Marcos, numa saída onde fechou o ângulo e fez a defesa com a ponta dos dedos, com incrível agilidade.

Foram três as observações mais importantes a respeito deste jogo: 1) o velho chavão: "o grupo está unido". Parece que a saída de Keirrison realmente fez muito bem ao elenco, que vibrou bastante em todos os gols e mostrou bastante solidariedade com a bola rolando; 2) o setor esquerdo de nossa defesa ainda tem algum problema na cobertura das descidas de Armero; e 3) Ortigoza dá uma dinâmica diferente ao ataque, dando mais condições ao centroavante de ser decisivo. Se por um lado a saída de Willians sacrifica o trabalho de Diego Souza e CleitonX, a presença do paraguaio preocupa muito mais as defesas adversárias. É muito bom poder contar com opções no banco do nível de Willians e Edmilson, é realmente sinal de que o elenco é mais forte do que pintam os hecatombistas, apesar das evidentes deficiências em setores específicos.

Vamos esperar fechar a tal janela. Ainda não sabemos se vamos perder mais alguma peça, seria importante manter todos os atletas e reforçar os setores onde temos mais necessidades. Sabendo que todos os nossos adversários também devem ter perdas, temos que buscar manter nosso elenco num nível mais elevado possível em relação a eles. Não importa tanto que nosso elenco esteja abaixo do nosso rigoroso nível de exigência. O referencial são nossos adversários. Comparado a eles, com dois ou três reforços e mantendo os atuais, o próximo técnico terá grandes chances de chegar já disputando um título brasileiro.

Atuações:
Marcos: perfeito. DEZ
Fabinho Capixaba: ...
Mauricio Ramos: discreto e eficiente. 7
Danilo: tomou conta da cozinha. 7,5
Armero: basante eficiente no apoio, mas deixou um buraco nas costas. 7,5
Pierre: não teve muito trabalho, o tal de Marquinhos é muito enganation. 7,5
Souza: agarrou a titularidade. Já passou da fase de afirmação. Até falta andou batendo. 8,5
CleitonX: esse, quando sair, vai dar muito lucro à Traffic. Sua efetividade é impressionante. 9
Diego Souza: não está conseguindo se firmar taticamente, mas sua vibração, sua força e liderança são fundamentais. 7,5
Ortigoza: como enche o saco da defesa dos caras, é impressionante. É muito chato jogar contra ele. 7,5
Obina'a: partida monstruosa. Quem diria. Se for sempre assim, achamos nosso centroavante. Eu ainda estou longe de acreditar nisso, mas por hoje, não há nada a repreender. DEZ
Willians: mudou bastante o panorama ofensivo e confundiu mais ainda a defesa adversária. Mas não executou bem quando teve a bola nos pés. 6,5
Jumar e Edmilson entraram apenas para fazer o relógio passar. s/n
Jorginho Cantinflas: arroz com feijão, e sem queimar nenhum menino do time B. Assim é fácil enfrentar o lanterna, pra que inventar, não é mesmo? Foi bem. 8

03 julho, 2009

Nada definido

As coisas podem até estar bem encaminhadas. Há reunião marcada para breve. Mas Muricy ainda não bateu o martelo, a despeito das informações que já pipocaram.

Fiz a checagem com quem deveria fazer, gostaria muito de poder confirmar a informação, mas ainda não foi desta vez. Por outro lado, podemos dizer que a tendência, muito forte, é que o acordo aconteça.

Mas tendência não significa certeza. Um pouco mais de paciência, e não passem o fim-de-semana afoitos. Esperem pela segunda-feira, que aí sim, é muito provável que tenhamos a definição.

A reforma do futebol

Está em andamento uma grande reformulação no futebol do Palmeiras. Em maio, sem alarde, todo o departamento fez uma espécie de simpósio, durante um final de semana, e botaram todas as cartas na mesa, a fim de fazer melhorias estruturais no andamento dos trabalhos. Não se trata do planejamento técnico, mas sim de uma reforma atemporal, independente das pessoas que estajam ocupando os cargos em cada momento.

O grupo Fanfulla, do qual faço parte, também tem essa preocupação, e elaborou nos últimos meses, após intensas discussões no fórum do site e nas listas de e-mail, sua proposta para a reforma do futebol do clube. O resultado disso é um documento, bastante sucinto, contendo pontos sobre os quais o grupo, formado por mais de 200 sócios do clube, considera fundamentais para que o Palmeiras atinja novamente a excelência no futebol profissional.

No último sábado, tive a oportunidade de entregar diretamente ao presidente Belluzzo este documento, em nome de todo o grupo Fanfulla. Mais tarde, conversando com membros da diretoria, pré-agendamos uma rodada de reuniões para comparar os dois planos, e ver onde o desenvolvido pelos sócios pode incrementar o que já foi colocado em prática pela diretoria.

Gostaria de registrar a satisfação pela receptividade da direção do Palmeiras a esta iniciativa de meros sócios. Nem se poderia imaginar abertura como essa em épocas anteriores. Numa semana tumultuada, onde a insatisfação ficou latente, foi comum ouvir que talvez a administração atual não seja tão melhor assim que a que nos enviou, vejam só, para a série B.

Equívocos estão sendo cometidos, como seriam caso qualquer um de nós estivéssemos em seus lugares. Mas esse pessoal que está hoje lá não apenas é composto por palmeirenses, como nós, como são abertos e democráticos, e ainda receptivos a pontos de vista diferentes dos seus. Esperamos que, com esse documento, que também tem muito do que se comenta e debate aqui nos comments deste blog e na mídia palestrina em geral, agregue valor ao plano que está sendo colocado em prática. Afinal, é um pouco da voz da torcida, sendo apresentado da forma mais correta e civilizada.

Clique aqui para ter acesso ao documento apresentado ao presidente Belluzzo, contendo de forma resumida as propostas para reforma no departamento de futebol profissional do clube.

As declarações de Edmilson

Edmilson deu duas entrevistas durante esta semana, ambas com conteúdos que merecem ser esmiuçados. A primeira diz respeito à diferença entre se trabalhar no Palmeiras e em outros clubes. A segunda foi sobre Keirrison e a forma como ele vinha se comportando, e sobre sua saída.

Na segunda-feira, dia 29, o pentacampeão discorreu sobre as dificuldades de se trabalhar no Palmeiras. A matéria completa está aqui. Na verdade, a razão do "tudo é mais difícil" acabou sendo acochambrada pela redação do globoesporte.com, que foi corporativista. Edmilson se referia à imprensa, e isso não é uma ilação minha, mas um fato apurado em conversas posteriores.

Edmilson ficou realmente assustado com as dimensões das consequências da demissão de Luxemburgo. Muito experiente, campeão do mundo pela Seleção, ficou seis anos no bambi, e teve passagens de quatro anos por Barcelona e Lyon. Nada no mundo do futebol deveria surpreendê-lo. É que ele não conhecia o Palmeiras. Aos mais próximos, Edmilson revelou que a atitude dos repórteres, a forma como se repercute os fatos no Palmeiras, é diferente de tudo o que já viu.

Quando a mídia palestrina se emburra com a imprensa, é tachada de paranóica, entre outros adjetivos menos enobrecedores. Na verdade, parte dos setoristas do Palmeiras tem é muita raiva dos nossos blogs. Já outros, mais inteligentes (e cito dois, Thiago Salatta do Lance, e Juliano Costa do JT) que seus colegas, conseguem enxergar na mídia palestrina um complemento do trabalho da imprensa tradicional, são profissionais que entendem que não somos concorrentes e que podemos produzir melhor se atuarmos em conjunto, não como competidores.

Infelizmente a maioria dos jornalistas que cobrem o Palmeiras mantêm uma postura bélica, buscam o tumulto com muito mais sede que em outros clubes (as declarações de Edmilson, que tem bagagem e isenção suficientes para fazer essa avaliação, são definitivas). Mais um ponto para a direção do clube se preocupar, temos que limpar a área em todas as frentes. As declarações de Edmilson não podem ser ignoradas.

***
Já a segunda entrevista de Edmilson, concedida nesta quinta-feira, diz respeito à forma como Keirrison se comportou nas semanas que antecederam sua saída do clube. Leia a matéria aqui. Edmilson critica duramente a atitude do atacante, dizendo que um clube com a grandeza do Palmeiras não pode ser simplesmente usado como trampolim para que um jogador atinja seus objetivos na carreira.

As declarações corroboram com tudo o que já vinha sendo dito por todos, veladamente, a respeito da falta de comprometimento de Keirrison com o elenco e com o clube. Tive a oportunidade de conversar com um dos irmãos Malaquias durante o jogo contra o Barueri, pelo Paulista, e ele não disfarçava nem um pouco que a ambição do jogador (na verdade, a dele e de seu irmão) era ir o mais rápido possível para a Europa.

Keirrison estava sendo mal aproveitado pelo técnico nas últimas partidas, principalmente no período em que Willians ficou fora do time. Sua apatia era resultado, agora sabemos, de uma série de fatores: além da dificuldade gerada pelo esquema tático equivocado, e da falta de foco e comprometimento com o clube devidas à má orientação por parte de seus empresários, também contaram dois problemas de ordem familiar/pessoal, que não vêm ao caso externar, e também uma personalidade introspectiva, frágil, uma ausência de atitude que não combina com o ofício de centroavante matador.

Edmilson referiu-se, em poucas palavras, a tudo isso. Do alto de sua experiência, declarou abertamente que o pacote que envolve Keirrison deve condená-lo ao fracasso, se não houver mudanças na condução de suas atitudes e de sua carreira. "Se não mudar, bate e volta", previu.

Pior que a situação de Keirrison na Espanha se complicou, já que o Barcelona pretendia fazer uma espécie de triangulação, como fez com Henrique, que vai se adaptando ao futebol europeu no Bayer Leverkusen, até amadurecer o suficiente para envergar a camisa azul-grená. Só que a triangulação que envolveria Keirrison parece estar fazendo água, e a negociação pode melar. Nesse caso, Keirrison, que já fez seis partidas pelo Palmeiras no Brasileiro, teria que jogar a série B, já que parece pouco provável, pelo clima que envolveu sua saída e todas as declarações posteriores, que ele tenha clima com o elenco e com a torcida para voltar ao Verdão. Chato, né?

Edmilson já havia demonstrado em outras entrevistas um raciocínio bastante claro, linear, com começo, meio e fim, pouco comum entre os boleiros. Aos 32 anos, tem mais algumas temporadas como jogador pela frente, mas o Palmeiras já poderia começar a pensar em aproveitar esse material humano para fazer parte, assim que encerrar a carreira, da comissão técnica permanente do clube, que começou a ser montada após a saída de WL630.

02 julho, 2009

Olhar para a frente


Vamos presenciar um imenso nhénhénhé agora que os gambás inacreditavelmente ganharam a Copa do Brasil. As comparações entre as duas gestões serão inúmeras, tanto em investimento quanto em resultados.

Mas vamos fazer um pequeno exercício de imaginação e realizar nossa torcida para esta noite, que infelizmente não se concretizou. Vamos projetar a repercussão de uma vitória do Inter:


  • o Inter é que contrata bem. D'Alessandro é que é gringo, não Pablo Armero
  • Índio, aquele que babava por aqui, teve condições de mostrar seu futebol lá
  • o planejamento gaúcho é exemplo para a nossa diretoria
  • isso sem falar no mega-vitaminado projeto de sócio-torcedor deles
  • e as divisões de base então? um exemplo!
  • o trabalho de bastidores é magnífico. Ninguém rouba o Inter.
  • viva Fernando Carvalho, o maior dirigente de clubes do país!
Pois é, mas o Inter não levou. O vencedor foi o gambá. Não preciso enumerar a conversinha que será exaustivamente repetida nos próximos 3 ou 4 dias, vocês se saturarão. É Ronaldo pra cá, Andrê pra lá, vai chover elogios para a administração gambá, até para a propaganda no sovaco.

Qualquer que fosse o resultado desta final, a torcida do Palmeiras iria se revoltar. Isso, claro, só acontece por causa da nossa desclassificação na Libertadores. Poderíamos estar voltando da Argentina agora, neste momento, comemorando a vaga para a final. Logo, qualquer rabugice que se ouça ainda é exclusivamente resultado da eliminação há duas semanas, pois o que o gambá ganhou, vamos combinar, é um mero torneio de acesso. É um torneio de quem ficou de fora, um mata-mata entre equipes de nível inferior. A verdade é que vencer a Copa do Brasil tem tanto valor técnico quanto ser quarto colocado do Brasileiro. A diferença é uma taça - o que não é pouco, é verdade, e ficará registrada na história. Mas enquanto resultado de um trabalho estruturado, de planejamento, não é motivo para nenhum grande orgulho. E que ninguém venha me falar de raposa, nem de uvas.

Por isso, vamos com calma com a encheção de saco. Temos que suportar a chatice dos gambás, mas a nossa irritação não deve ser direcionada para tumultuar ainda mais o nosso ambiente, já que, repito, tudo isso é resultado da nossa eliminação há duas semanas. É burrice colocar o mesmo disco pra tocar de novo, todas as críticas já foram feitas e o remédio, certo ou errado, já foi aplicado, que foi a demissão de WL630.

Agora temos que olhar para a frente, para o nosso caminho, e isso passa em primeiro lugar para a contratação do novo técnico. Tite possivelmente não será demitido diante da reação do Inter no segundo tempo, e tudo caminha para a confirmação da contratação de Muricy.

Com um gambá relaxado com a vaga já assegurada, com um Inter baleado e na descendente, com um Atlético sob o comando de um Celso Roth, com um Cruzeiro possivelmente classificado também com mais um título da Libertadores, com um bambi em franca decadência, é capaz desse Brasileiro, mesmo com todos os nossos equívocos, ainda cair no nosso colo. Basta não perder mais pontos bobos em casa, como no último domingo, e fazer nossa parte direitinho, que sim, é bem possível.

01 julho, 2009

Siga o Verdão




Como alguns mais atentos já puderam reparar, tem selo novo na barra da direita do blog. Desde a última sexta-feira, o blog Parmerista! estabelece uma parceria com o site Siga Seu Time, através do qual os cadastrados tem uma maneira mais moderna de receber um RSS do Verdão através do Twitter.

Funciona assim: você clica no selo ao lado, e se já tiver uma id no Twitter, basta adicionar o @sigaPalmeiras. Se não tem, é só criar uma id - é rápido e grátis - e assim juntar-se à nova tendência da Internet, o microblog. Aproveitem e adicionem também o @parmerista.

O diferencial deste serviço em relação aos já tradicionais RSS é que, ao inscrever-se em todos os serviços de notícias, você recebe a mesma notícia várias vezes. O Siga Seu Time já faz o serviço de tirar da thread as notícias repetidas, já publicadas. É como um clipping de RSS, numa comparação marromeno.

O Parmerista! vai colaborar com o site sendo um dos colunistas, um dos provedores de conteúdo do @sigaPalmeiras. Assim, mantendo o Twitter sempre aberto, você tem não só um aviso de todas as notícias sobre o Verdão, mas também dos colunistas selecionados pelo site, do qual este blog orgulha-se de ser um.

Abraço ao Patrice, do Siga Seu Time!

*não é o Patrice do Estádio 97 hem!

Pecados capitais

O Jornal Placar soltou uma matéria interessante, sobre todo o processo da demissão de Luxemburgo. Segundo o texto, ao contrário do que declarou a diretoria, houve, sim, fritura de Luxa, e a história da quebra de hierarquia foi apenas um pretexto.

Com todo o respeito ao presidente Belluzzo e à Diretoria de Futebol, tendo a acreditar mais nessa sucessão de fatos listada na matéria, e na fritura. Aliás, um cozimento, a fogo brando. No próprio post onde este blog fez seus primeiros comentários sobre a queda, minutos depois do anúncio, o motivo alegado já pareceu um tanto quanto superficial.

Abaixo, os sete pecados capitais cometidos por Luxa que teriam causado sua demissão. A matéria toda pode ser lida aqui.

Os 7 pecados capitais de Luxemburgo

A língua solta
Falou mal dos jogadores (inclusive do goleiro Marcos, ídolo palmeirense), da torcida alviverde e até da Traffic. Elogiou Ronaldo, a torcida do Grêmio, a estrutura do São Paulo.... e culpou sempre alguém (nunca ele) pelas derrotas do Palmeiras.

O custo benefício
Técnico mais caro do país (ganhava R$ 500 000 para dirigir o Palmeiras), que, de quebra, traz no pacote uma comissão monstra - coloque na conta pelo menos mais R$ 500 000 para o clube. Se o treinador ainda conquistasse título à altura deste pacote...

O trabalho mal feito
Segundo a diretoria do Palmeiras, Luxemburgo avaliou mal alguns jogadores e errou em outras indicações. Além disso, faltava a treinos ou chegava atrasado, deixando o comando para os auxiliares. E dava poucos treinos em dois períodos.

O mau exemplo
Além das faltas e atrasos nos treinos do time nesses 18 meses de clube, Vanderlei Luxemburgo burlava a concentração enquanto os jogadores eram obrigados a ficar enfurnados semanas em Atibaia, por exemplo.

A ausência de foco
Instituto Wanderley Luxemburgo, projetos pessoais, negociações... Resultado: não conhecia mais tão bem assim os jogadores disponíveis no mercado e nem os adversários que o Palmeiras enfrentava.

A briga com Marcos
Tinha de engolir o temperamento do goleiro e não conseguia. Trombou com ele várias vezes, pegando no pé por conta das declarações pós-jogo, e o goleiro chegou a pedir para ser negociado.

A falta de tato
De revelador de talentos... ele não conseguiu tirar nada dos jogadores trazidos pela parceira para o Palestra Itália. Pelo contrário. Vários que chegaram foram queimados: Maicosuel, Evandro, Marquinhos...

Esta lista vem ao encontro de tudo o que este blog vinha apontando, e que culminaram com a campanha "Fora Luxa", precipitada com a eliminação da Libertadores. Se tudo o que foi listado foi realmente observado e influenciou na demissão, palmas para a diretoria, que tinha seu planejamento, mas teve coragem de fazer a devida correção na rota, e servir de vidraça mais uma vez. Comandar o futebol do Palmeiras é isso.

Não se pode ficar refém de nenhum profissional. Luxemburgo, de capacidade inegável, não estava exercendo seu trabalho usando todo seu potencial, a despeito seus estratosféricos vencimentos. A forma de medir isso é fácil: títulos, os que não vieram, e a perspectiva de outros chegarem, que era cada vez menos evidente.

Com este post e os comentários decorrentes, o blog pretende encerrar o assunto WL630 por aqui. Terminando esta discussão, vamos olhar para a frente, aprendendo com os erros de mais este episódio.

30 junho, 2009

Desespero

Não adianta. Bastou sair a notícia de que "Abel está descartado" (que na leitura das entrelinhas não significa nada mais que "pô Abel negocia essa multa direito com os Al Garrafas aí...") que os parmeristas mais desesperados já começaram a buscar soluções do arco-da-velha.

Com todo o respeito, vejam só os nomes que já sugeriram, separados por categorias:

1) Enganation: Paulo Autuori, Nelsinho, Tite, Ney Franco, Vagner Mancini, Silas...
Pior que tem uns enganations aqui que já tem mais de 20 anos de carreira e continuam enganando. Nelsinho Baptista, além de ser enganador, deveria ser persona non-grata no Palestra só por ter afastado Evair do elenco em 1992. Coisa que muitos de vocês sequer eram nascidos e desconhecem. Autuori é o rei do time pronto. Como o Luxa não deixou time nenhum, é bobagem. Já Tite é só motivador, com prazo de validade curto. É uma espécie de Leão com fala mansa. Já os da "nova geração", nem pensar. Tivemos uma experiência recente com Caio Junior que deve servir de lição para alguma coisa. Chega de estagiários.

2) Internacionais: Carlos Bianchi, Ruggeri, Lothar Mathäus...
Os criativos leitores sugerem que a solução deve ser inovadora e mexer com o mercado nacional. Técnico estrangeiro, chique né? Não levam em conta a tradicional resistência que o boleiro brasileiro tem com técnico gringo. Lembram do Passarella no gambá? Carlos Bianchi seria uma opção de técnico consagrado, uma espécie de Felipão argentino que talvez conseguisse algum respeito dos jogadores, mas esse está ancorado em Buenos Aires como coordenador técnico do Boca e não sai de lá nem rebocado. E Mathäus foi até uma brincadeira. Em todo o caso, era bom proibir as repórteres femininas de entrarem na Academia.

3) Ídolos: Velloso, Evair, Zinho, César Sampaio...
Aí estão de brincadeira mesmo. Mesmo quando eram jogadores, esses caras ainda tinham que aguentar meia dúzia de amendoim enchendo o saco. Velloso era "frangueiro", Evair era "velho" e tinha "hérnia de disco", Zinho era uma " enceradeira" e César Sampaio, sei lá, era "bonzinho demais". Se quando comiam a bola já eram criticados, imaginem trocando os pés pelas mãos e se metendo a técnico do Palmeiras. Vamos presevar nossos ídolos, por favor.

Não adianta inventar. Daqui a pouco vai vir um sugerindo Péricles Chamusca. Amigos, como diria o presidente: MENAS!!!

O Palmeiras, como time de ponta, só pode aceitar técnico de ponta. As opções do mercado, hoje, são: Muricy e Abel. Num segundo patamar, ainda dentro do aceitável, Mano e Dorival. Quem fala por eles são suas conquistas num passado recente. O resto é folclore. Não adianta se desesperar. Temos que esperar algumas definições, e comandar o mercado. Nós escolhemos, a primeira cadeira a ser ocupada é a nossa. Depois os que ficarem em pé que se virem pra ver onde vão trabalhar. Não tem nada de pegar o que sobrar. Aqui é Palmeiras.

E parem de acreditar em tudo o que sai na imprensinha. É tudo papagaiada, tudo despiste, tanto do lado dos técnicos, quanto do nosso próprio lado. Tenham paciência.

29 junho, 2009

Filtrem

OK, sabemos que quanto mais tempo ficarmos sem técnico, mais vai demorar pro time pegar forma. Passa pela escolha do novo técnico a decisão de quem pode ser o novo centroavante. Precisamos que essa definição saia logo.

Para a imprensa, é um prato cheio especular sobre essa escolha. Primeiro, que a nossa torcida é ansiosa por natureza, então falar sobre isso dá ibope. Segundo, que com a iminência da decisão da Copa do Brasil, pode ser desencadeada uma imensa dança das cadeiras, envolvendo Tite, Mano Menezes, Dorival Junior, Cuca, Autuori, Luxa e Muricy. Aí, não é só a torcida do Palmeiras que estará envolvida, mas pelo menos 4 ou 5 das maiores torcidas do país.

Os técnicos não são burros. Ou melhor, são. Mas seus procuradores não, e estão percebendo essa movimentação. Por isso, ninguém dá um passo em direção nenhuma. As notícias pipocam de todos os lados, e são todas, TODAS falsas. É tudo rojão molhado, pelo simples fato que muitas cadeiras podem vagar em poucas horas.

Por isso, notícias de que o telefone de fulano não atende, a multa de beltrano é impossível de pagar, que sicrano prefere a cidade X, mas a mulher gosta da cidade Y, e os filhos estão mais adaptados a Z, é TUDO PAPAGAIADA. Filtrem as notícias, não se deixem levar por gente que precisa de audiência a qualquer custo.

Sejamos pacientes. Na real, o que eu gostaria mesmo não é de mais boatos, e sim de ter a notícia definitiva, de que o Palmeiras acertou com seu próximo treinador.

E pra não muretar, dentre os citados nas linhas acima, fico com a seguinte ordem de preferência: 1) Muricy; 2) Abel; 3) Mano; 4) Dorival; 5) os outros nem a pau...

28 junho, 2009

Palmeiras 1x1 Santos

Um pouco de bola rolando, para variar. Depois dos recentes terremotos, o Verdão voltou a campo, no Palestra, para pouco mais de 8 mil pagantes que enfrentaram mais uma noite bastante fria. E apesar do bom primeiro tempo, o time tornou-se presa fácil para o Santos no segundo, e conseguiu perder mais dois pontos estúpidos dentro de casa.

Num estranho 4-4-1, já que Willians fez sua pior partida pelo Palmeiras e estava absolutamente perdido em campo, sem saber se era atacante ou meia, se ia ou se ficava, se casava ou comprava uma bike, o Verdão entrou com Souza ajudando a proteção da zaga, e Obina no comando do ataque, e mais uma vez Ortigoza foi relacionado apenas para o banco. Mesmo assim, diante de uma postura bastante apática do time do Santos, o Palmeiras conseguiu prensar o adversário em seu campo. Desta forma, sem ser importunado durante todo o primeiro tempo, com exceção de uma bola que Marcos saiu jogando errado e quase tomou um gol ridículo do meio da rua, o Verdão mandou no primeiro tempo, criou várias chances, e o 1x0 saiu barato para o Santos.

Não que o Palmeiras tenha brilhado. Apenas ocupou o espaço cedido pelo Santos e naturalmente construiu suas oportunidades: Willians de cabeça, após surpreendente cruzamento de Obina; Diego Souza, que matou e colocou na frente um chutão de Danilo, mas tentou encobrir Douglas em vez de encher o pé; bons chutes de fora de Pierre e Souza; finalização fraquinha de Diego Souza na cara do gol após ótima enfiada de CleitonX; até que nosso camisa 10 resolveu que era com ele mesmo, partiu pra cima de Roberto Brum, cortou pro lado e bateu cruzado. Douglas rebateu e Obina, bem colocado, fez seu terceiro gol no Brasileiro, fazendo justiça no placar.

O Santos veio com uma postura mais ofensiva para o segundo tempo. A entrada de Robson deu mais consistência ofensiva ao adversário, que de início era contido pela nossa defesa com faltas próximas à área, proporcionando constantes cruzamentos que nossa zaga afastou bem. De tanto fazer faltas, praticamente toda nossa defesa ficou amarelada, e os cruzamentos passaram a sair com a bola rolando, com a defesa não tão bem postada. Numa delas, Kleber Pereira no segundo pau ajeitou para o meio, Robson concluiu e Marcos fez uma defesa daquelas que este blog já se acostumou a antever: teremos muito, muito orgulho de ter visto essas coisas ao vivo, no estádio.

Pierre se lesionou, Edmilson entrou em seu lugar. Jorginho Cantinflas, tampão do momento, colocou sua cria do time B, Felipe, no Willians, e deslocou Souza para a direita; tirou Wendel e colocou Ortigoza, para ver se matávamos o jogo. Obina teve a bola do jogo nos pés. CleitonX, sempre nosso 10, conduziu e achou um lançamento magistral para ele'e. Obina, lento, pesado, não teve velocidade suficiente para fugir do lépido Domingos, e teve que bater da entrada da área, facilitando para a defesa de Douglas. Tivesse mais mobilidade, conseguiria ter dado mais um ou dois passos e fuzilar o goleiro de dentro da área.

Aos 38, o castigo: Roberto Brum conduziu, VagnerDiniz atraiu a marcação pelo nosso setor esquerdo e abriu-se o buraco para Kleber Pereira, que recebeu livre. Marcos saiu e abafou, mas deu azar: na conclusão do movimento, seu braço bateu na bola, que se ofereceu para Vagner Diniz, que estava lá só pra puxar marcação. O lateral rolou para o meio, Robson dominou, Edmilson se posicionou na linha do gol. Marcos deu um passo para fechar o ângulo, e Edmilson continuou escondido atrás de Marcos. Tivesse dado um passo para o lado, acompanhando o arqueiro, e teria condições de evitar que a bola batida no cantinho entrasse.

Depois de tomar o empate, o Verdão foi pro abafa, e quase conseguiu o gol em mais duas oportunidades, em bolas alçadas na área. Mas não conseguiu repetir o feito do jogo contra o Vitória, e viu dois pontos importantíssimos escorrerem pelo ralo, apesar de dois pênaltis claríssimos não assinalados pelo safado Leonardo Gaciba.

Claro que foi um jogo atípico, por toda a agitação nos bastidores, a venda do artilheiro e a demissão do técnico. Mesmo assim, o Santos, apesar do elenco razoável e do técnico em ascensão, vivia um momento de início de crise, pelos maus resultados e por mais uma presepada de seu goleiro-retrato-falado. E o Verdão não soube aproveitar.

É hora de arrumar a casa, o mais rápido possível, a começar pela definição do técnico. Não acreditem em nada do que sai na imprensa, essas negociações são cheias de truques e despistes, blefes e recuos. Mas a diretoria sabe que a contratação do técnico é importante demais, não só pelo fato em si, mas também porque passa por ele a aprovação da contratação do novo atacante. Sem fechar o técnico, nem pensar em negociar com nenhum artilheiro. Vamos aguardar as definições, que podem acontecer a qualquer momento.

Atuações:
Marcos: uma defesaça-aça-aça, e uma pixotada. 7
Wendel: é fraco, mas tem muita vontade. Ah, se os mais dotados tecnicamente tivessem sua garra. 5,5
Mauricio Ramos: é muito bom de cabeça no ataque, mas nem tanto na defesa. Curioso. 6,5
Danilo: esse segue o padrão: atrás, vai muito bem no jogo aéreo, mas não incomoda muito as defesas adversárias nas jogadas de bola parada. Melhor assim, afinal, é zagueiro. 7
Armero: cada dia que passa se parece mais com Leandro Buxexa, pelo menos na indolência. 5
Pierre: mais uma vez com sérios problemas familiares, mais uma vez meteu as caraas pra jogar. Um monstro, acho que deve ter o escudo tatuado no peito de verdade. E ainda saiu lesionado. 9
Souza: o dono do primeiro tempo, parecia um veterano. Após um ótimo começo de carreira, e uma queda de rendimento quando a ficha caiu, parece estar se estabilizando. Se mantiver esse nível, estamos diante de um grande jogador. 9
CleitonX: seu futebol não é vistoso, mas e extremamente eficiente. O gol saiu de um rebote de um chute seu, e ainda deixou Obina na cara do gol para matar o jogo. 8,5
Diego Souza: uma das piores partidas do ano. Parece perdido taticamente, precisa de uma luz. 5
Willians: outro que fez uma partida horrorosa, também perdido taticamente e fraco tecnicamente. Teve uma cabeçada à disposição em que era só testar pra dentro. Apenas escorou a bola, facilitando a defesa do goleiro. 4,5
Obina'a: teve o mérito de estar bem colocado no lance do gol. No mais, o que todos já sabem: muito grosso, muito ruim, mas tem bastante vontade. Fez o seu, mas perdeu a bola do jogo por pura ruindade e incapacidade física. 6,5
Edmilson: nitidamente fora de ritmo, facilitou as coisas para o Santos. 4
Felipe: apavorado, não justificou nem um pouco a grande expectativa em torno de si, pelas belas atuações no time B. 3,5
Ortigoza: pegou na bola? 5
Jorginho Cantinflas: mostrou porque é técnico de time B. 4